Existem gorduras que ajudam a emagrecer e fazem bem à saúde.

Banana madurinha ou verde?
20 de outubro de 2016
Pacote Setembro
15 de setembro de 2017

Silvia Sabino

Contrariando o senso comum que acredita que todas as gorduras engordam e são prejudiciais à saúde, as gorduras mono e poli-insaturadas podem ser consideradas “do bem.”, uma vez que essas auxiliam no emagrecimento porque diminuem a velocidade de digestão dos alimentos e, consequentemente, reduzem o índice glicêmico da refeição. Dessa maneira, as gorduras mono e poli-insaturadas ajudam a baixar a concentração de açúcar no sangue e a produção de insulina, evitando que a gordura fique acumulada no organismo. Elas também, têm poder antioxidante, anti-inflamatório, e ainda diminuem a concentração de LDL (colesterol ruim) e aumentam o HDL (colesterol bom) na corrente sanguínea.

As oleaginosas, como amêndoas, nozes, castanha do Pará, castanha de caju, macadâmia, avelã e amendoim são a principal fonte de gorduras monoinsaturadas e são também substâncias antioxidantes. Essa é uma feliz combinação por fazer com que os níveis de glicose, o açúcar do sangue, se mantenham estáveis, o que dá disposição e ainda ajuda a queimar gordura. Além disso, as gorduras monoinsaturadas são ricas em fibras, proteína vegetal de boa qualidade, vitamina E, complexo B, selênio, zinco.

O ômega 3 é um óleo poli-insaturado com nutrientes fundamentais para o seu corpo. Existem os seguintes tipos de ômega 3: o ALA (ácido alfa linolênico) que está mais presente na linhaça, chia e nozes, e principalmente no óleo de peixe: o EPA e o DHA., que pode ser encontrados por ex. salmão, cavala e arenque. O ômega 3 age diminuindo os processos inflamatórios, facilitando assim o funcionamento do sistema que controla a saciedade. O resultado é ao provocar uma sensação de saciedade, come-se menos e óbvio evita ganhar peso.

Além disso, o ômega 3 ajuda a emagrece porque tem a capacidade de ativar uma proteína chamada PPAR-gama. Essa proteína é importante para melhorar os efeitos da insulina nas células, de maneira que esta consiga converter mais facilmente o açúcar em energia, evitando assim que os excessos se transformem em gorduras indesejadas.

Outra gordura aliada na perda de peso é o óleo de coco, por extração a frio, tem se revelado rico em ácidos graxos saturados de cadeia média e curta, o que não produz efeito cumulativo de gorduras no nosso corpo. Outra propriedade positiva do óleo de coco é ser termogênico ou seja, auxilia o corpo a queimar calorias (gera calor), aumentando portanto o metabolismo. Ele também aumenta a saciedade, aumenta as enzimas CCK e PPY que ajudam a diminuir a fome.

Dica:

O interessante seria nas pequenas refeições introduzir sementes e oleaginosas, sem exageros, por despertarem a sensação de saciedade. Podemos também enriquecer uma vitamina na parte da manhã com alguma oleaginosa. Nas grandes refeições, almoço e jantar, podemos usar alguma semente o óleo de coco em preparações como sucos saladas.

Referências:

http://www.abeso.org.br/pdf/revista56/oleo_coco.pdf

https://books.google.com.br/books?hl=pt-B

R&lr=&id=ytGwCgAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT6&dq=gorduras+mono+e+poliinsaturadas+ajudam+a+emagrecer&ots=jdCxmrcwAv&sig=d8SMn_IeGX5nwawaZ8AD8zzbDJM#v=onepage&q&f=false

http://e-revista.unioeste.br/index.php/variascientiaagraria/article/view/9275/9049

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=393738&indexSearch=ID

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *