Amaranto

Alfarroba
30 de janeiro de 2013
Óleo de Coco
30 de janeiro de 2013

Benefícios:

O amaranto, pseudocereal do gênero Amaranthus, está inserido na classe das Dicotiledôneas e na família Amaranthaceae. Não se trata de cereal, pois apresenta aspectos botânicos e características nutricionais como alto teor proteico, que é superior ao dos cereais convencionais.

O interesse pelo grão de amaranto tem crescido nos últimos anos, particularmente devido à boa qualidade nutricional de suas proteínas e características especiais de seu carboidrato. Outro aspecto relevante em relação a esse pseudocereal é a ausência de glúten na sua composição. Tais características levaram diversos países a iniciar seu cultivo, entre os quais o Brasil.

O amaranto apresenta, em média, 15-16% de proteína de alto teor biológico (aquelas com todos os aminoácidos essenciais que o corpo não produz), 7-8% de gorduras, 50-60% de carboidrato e 14,2% de fibra alimentar. As gorduras presentes no amaranto são “boas” gorduras, como o ômega 3, 6 e 9, que possuem efeitos benéficos contra doenças cardiovasculares. Além disso, o amaranto possui vitamina A, C e E, potássio, ferro, magnésio, fósforo e cálcio, sendo que alguns desses nutrientes são encontrados em maior quantidade no amaranto que em outros cereais.

O amaranto quase não tem gosto, o que é muito bom, pois a farinha pode ser usada em várias misturas sem comprometer o sabor das preparações.

Muitas pesquisas realizadas, tanto no Brasil e em todo o mundo, veem mostrando o potencial do amaranto na redução dos níveis de colesterol sanguíneo. Vários componentes presentes podem atuar neste efeito, como as ”boas” gorduras, alto teor de proteínas, fibras e substâncias antioxidantes.

 

Tipos:

Em flocos, farinha e em grãos.

Recomendação:

Cerca de 2 colheres de sopa ao dia.

Como utilizar:

Seus flocos, assim como sua farinha, podem ser consumidos com frutas e iogurte, como ingrediente para preparação de pães, bolos, panquecas, doces, sopas, vitaminas, mingau. Já os grãos, quando aquecidos, estouram como pipoca e está sendo utilizada para a criação de barras de cereais, musli (mistura de cereais), pães, bolachas e saladas.

Receita:

Cuscuz com Amaranto

 Cuscuz de Amaranto

 

Ingredientes
1 xícara de amaranto em flocos
1 colher sopa de cenoura cortada em cubinhos
1 colher de sopa de ervilha fresca
1 colher de café de salsinha ou cebolinha picada
1 colher de chá de alho-poró
1 colher de chá de figo seco
1 pitada de cúrcuma
3 pimentas de biquinho
1 Punhado de amêndoas filetadas e tostadas levemente
azeite
sal a gosto

Modo de preparo

Comece tostando levemente os flocos do amaranto, isso irá deixar o amaranto mais crocante e sem o aspecto de cru. Depois, faça um pré-preparo de todos os outros ingredientes: separe a ervilha fresca, lave e passe rapidamente pela água fervente. Corte a cenoura em cubos pequenos, assim como o figo turco. O alho-poró pode ser cortado em tirinhas.

Pegue uma frigideira funda e coloque o azeite para aquecer. Então, um a um, adicione os ingredientes. Comece pelo alho-poró, a ervilha, depois a cenoura, o figo turco, o amaranto, o cúrcuma em pó e a cebolinha.

Retire a panela do fogo e adicione a pimenta biquinho e as amêndoas em lascas.

Misturado tudo, acerte o sal. Ele pode servir de acompanhamento para peixes e carnes.

 

Referências:

REIS, C; NETTO, FM. Influência do método de extração no rendimeno, perfil proteico e solubilidade de concentrados proteicos de amaranto. B.CEPPA, Curitiba v. 24, n. 2, p. 289-302 jul./dez. 2006.

AMAYA-FARFAN, J et al. A proposta do Amaranto (Amaranthus sp.). Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, v. 12, n. 1, 2005, p. 47-56.

 COELHO, KD. Desenvolvimento e avaliação da aceitação de cereais matinais e barras de cereais à base de amaranto (Amaranthus cruentus L.). SÃO PAULO, 2006.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *